ARTISTA

Mirna Rolim

Videos

Release

É contadora de histórias, educadora, produtora, palhaça, cantora, dançarina e artista visual.

Formada em Artes Visuais pela Unicamp (2011), trabalha com contação de histórias desde 2012. Viaja com a Cia Benedita na Estrada desde novembro de 2016 com os espetáculos “A Volta do Mundo é Grande” (direção de Erika Cunha), “Diversifica”, “A Flor do Curupira” e “O Mede Palmo dá a Volta ao Mundo” (direção de Ana Roxo), tendo circulado de kombi pelo litoral e interior de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e de bicicleta por Minas Gerais, Bahia, Sergipe e Alagoas apresentando em escolas, centros culturais, assentamentos rurais, aldeias indígenas, unidades do Sesc, SESI e praças.

Currículo

Nascida em São Paulo- SP, em 12 de agosto de 1987, de pai músico e mãe educadora, Mirna Rolim tem uma formação equilibrada entre a prática artística e a prática pedagógica.

É contadora de histórias, educadora, produtora, palhaça, cantora, dançarina e artista visual.

Formada em Artes Visuais pela Unicamp (2011), trabalha com contação de histórias desde 2012. Viaja com a Cia Benedita na Estrada desde novembro de 2016 com os espetáculos “A Volta do Mundo é Grande” (direção de Erika Cunha), “Diversifica”, “A Flor do Curupira” e “O Mede Palmo dá a Volta ao Mundo” (direção de Ana Roxo), tendo circulado de kombi pelo litoral e interior de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e de bicicleta por Minas Gerais, Bahia, Sergipe e Alagoas apresentando em escolas, centros culturais, assentamentos rurais, aldeias indígenas, unidades do Sesc, SESI e praças.

Principais trabalhos com contação de Histórias:

- Ministrante da Oficina de Contação de Histórias “Deixar-se Ser em Palavras” (de 2015 a 2019)

- “O Mede Palmo dá a Volta ao Mundo”- direção de Ana Roxo (estréia 08/2018)

- Participação no “8º Encontro Internacional de Contadores de Histórias- Boca de Céu” com o espetáculo “A Volta do Mundo é Grande” (05/2018)

- “A Flor do Curupira” com a Cia Benedita na Estrada (estreia 02/2017)

- “A Volta do Mundo é Grande”- direção de Erika Cunha com a Cia Benedita na Estrada (estreia 09/2016)

- “Diversifica” com a Cia Benedita na Estrada (estréia 04/2016)

- “Cantos de Rio Correr” com Nina Neder e Esther Alves (estréia 08/2015)

- “Passarinhê” com Paulo Oliveira, Esther Alves e Fernando Tocha (estréia 08/2013)


Principais trabalhos como educadora:

- Ministrante da Oficina de Contação de Histórias “Deixar-se Ser em Palavras” para adultos de 18 a 90 anos (de 2015 a 2019)

- Professora de Artes na Escola do Sítio para o Ensino Fundamental II, Campinas- SP (2014-2015)

- Ministrante da Oficina de Contação de Histórias no Instituto Jacarandá para crianças de 2 e 3 anos, Campinas- SP (2014)

- Ministrante da Oficina de invenção de brinquedos “Brincriar” juntamente com Letícia Graciano e Maria Luisa de Andrade para crianças de 6 a 12 anos, através da aprovação no edital de Oficinas Culturais da Secretaria de Cultura de Jundiaí- SP (2014)

- Professora de Artes na Prefeitura de Sumaré para 4ºs e 5ºs anos do Ensino Fundamental I, Sumaré- SP (2013)

- Educadora Social na ONG Projeto Gente Nova para crianças e adolescentes de 6 a 20 anos em Campinas- SP (2011)

- Professora de Artes no Centro de Educação Infantil Conviver e Crescer para crianças de 3 a 5 anos em Campinas- SP (2010-2011)


Principais trabalhos como produtora:

- 2016-2019- Produção da Cia Benedita na Estrada pelos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia, Sergipe e Alagoas.

- 2013 a 2015- Direção de Produção e Produção Executiva da Vivência Kariri Xocó com a vinda do Grupo Sabuká Kariri Xocó, de Alagoas para Campinas-SP, realizando apresentações e rodas de conversa em escolas, universidades e centros culturais, incluindo a aprovação no edital de culturas populares do Fundo de Investimento Cultural de Campinas (FICC) em 2015.

- 2011-2012- Escrita e coordenação do projeto “Ventre de Memórias” aprovado no edital 31/11 de Primeiras Obras de Artes Visuais da Proac, Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo


Referências no trabalho como contadora de histórias:

- Ana Sofia Paiva- Portugal, contato através da oficina “O poder da voz – Oficina sobre as potencialidades da voz na narração oral”- VIII Festival Internacional de Contação de Histórias, Boca do Céu- 2018

- Toumani Kouyaté- Burkina Faso, contato através da oficina “O Corpo, Instrumento Sensível da Palavra”- XIV Festival Internacional de Teatro de Campinas, FEVERESTIVAL- 2014

- Ésio Magalhães, Campinas, SP, Brasil- contato através do curso “A Menor Máscara do Mundo”- Barracão Teatro- 2016

- Adelvane Néia, Jacarezinho, PR, Brasil - contato através do curso “Qual a Sua Graça, Palhaça”, ”Iniciação à Técnica de Clown”- Humatriz Teatro- 2013 e da orientação artística sobre o número “Samba de Mário Mais Eu”- 2014

- Nívea Magno, Rio de Janeiro, RJ, Brasil- contato através da oficina “Semente da Voz”- 2018

- Luiza Moreria Salles, Artur Mattar e Micael Guimarães, São Paulo, SP, Brasil- contato através da oficina “Teatro e Memória”- 2016.

- Sotigui Kouyaté, Mali- contato através do documentário “Sotigui Kouyaté, um Griot no Brasil” de Alexandre Handfest.


Bibliografia norteadora para o trabalho como contadora de histórias:

- Walter Benjamin, Alemanha, “O Narrador”.

- Regina Machado, Brasil, “Acordais: Fundamentos Teórico-poéticos da Arte de Contar Histórias”

- Beatriz Montero, Espanha, “Los Secretos del Cuentacuentos”

- Clarisa Pinkola Estés, Estados Unidos/ Mexico, “Mulheres que Correm com os Lobos”.

- Ecléa Bosi, Brasil, “Memória e Sociedade, Lembranças de Velhos”.

- Henri Bergson, França, “Matéria e Memória”

- Carl Gustav Jung, Suiça, “Os Arquétipos e o Inconsciente Coletivo”

- Nise da Silveira, Brasil, “O Mundo das Imagens”

- Augusto Boal, Brasil, “Teatro do Oprimido e Outras Poéticas Políticas”

- Lev Vygotsky, Rússia, “Pensamento e Linguagem”

- Paulo Freire, Brasil, “Pedagogia da Autonomia”.

- Teca de Brito, Brasil, “Música na Educação Infantil”


Principais trabalhos como palhaça:

- Curso “Mergulho na Menor Máscara do Mundo” com Ésio Magalhães, palhaço Zabobrim, carga horária de 20 horas (2016)

- Participação no I Encontro Internacional de Mulheres Palhaças em São Paulo como palhaça Marinóca com o número “Samba de Mário Mais Eu”, dirigido por Adelvane Néia, Palhaça Margarida (2014)

- Curso “Qual a Sua Graça, Palhaça?” com Adelvane Néia, palhaça Margarida, carga horária de 30 horas (2013)

- Curso “O Clown e sua Poética” com Adelvane Néia, palhaça Margarida, carga horária de 40 horas (2013)


Principais trabalhos como artista visual:

- Pintura mural no Centro Cultural Chico Rei, em Poços de Caldas, MG (2018)

- Pintura mural no Espaço Sagrado, espaço de atendimento à gestante da doula Christiane Silvério, em Campinas, SP (2016)

- Pintura mural na Casa do Pano, espaço de ensino de artes circenses, em Campinas, SP (2016)

- Concepção e criação da obra Ventre, integrante da obra “Ventre de Memórias” (Proac Primeira Obra de Artes Visuais 31/11- realização em 2012)


Principais trabalhos como cantora:

- Cantora no Trio Trocano, Campinas, SP (de 2014 a 2016)

- Cantora no Trio Cordoeira, Campinas, SP (de 2011 a 2013)

- Cantora no Grupo Chasky, Campinas, SP(de 2011 a 2013)

- Grupo Coral Maracá, São Paulo, SP (2004 e 2005)


Principais trabalhos como dançarina:

- “Parto de Mim” solo de dança com orientação de Adilson Nascimento (estréia 09/2009)

- Oficina Montagem da Confraria da Dança- direção de Diane Ichimaru e Marcelo Rodrigues (estréia 11/2008)

- “Levanta Bêbo” solo de dança com orientação de Beth Bastos (estréia 11/2005)

- Aulas da técnica Klauss Vianna com Beth Bastos (1996-2005)